quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

O jogo da exclusão


Jovens inglesas prostituem-se para pagar estudos superiores. As ilusões sobre a natureza do mundo social estão a cair uma a uma. O que está em causa não é tanto o facto de haver quem se prostitua, mas o do acesso à universidade se tornar num bem cada vez mais caro e reservado. Durante muito tempo vivemos na convicção de que a virtude social residia nas estratégias de inclusão, daí a retórica da universidade para todos. Isso tirou-nos o discernimento para perceber que toda a vida social, até nas sociedades comunistas, se regula pela diferenciação e pela exclusão. A inclusão deriva da necessidade do outro imposta pela fragilidade humana. A exclusão, porém, é a assinatura da minha liberdade e do meu poder. Não há quem não a faça.