domingo, 19 de agosto de 2012

Obrigadíssimo, Ivone

Paul Klee - Domestic Requiem (1923)

A Ivone, de A Ronda dos Dias, teve a gentileza de fazer, no seu blogue, uma leitura do ciclo Missa Pro Defunctis, aqui publicado. Ao ler as três entradas que ela escreveu fiquei com a nítida sensação que ela leu melhor, bem melhor, do que eu próprio o leria. O Paul Ricoeur dizia que o escritor, do ponto de vista da recepção, não é mais do que o primeiro leitor. Um leitor que não tem mais prerrogativas que qualquer outro. Eu diria, porém, que há leitores que lêem bem melhor uma obra, como é o caso da Ivone, do que o seu próprio autor. E isto não é um exercício de humildade da minha parte. O autor, no fundo, nunca abandona os preconceitos que, de maneira mais implícita do que explícita, o acompanham quando escreve. O leitor está livre deles. A Ivone, por outro lado, alia a essa independência um saber de experiência feito (basta ler o seu excelente Ordem Breve ou os poemas que coloca em A Ronda dos Dias) e também uma competência técnica ao nível da análise dada pela sua formação e aplicação prática. Eu só posso agradecer a sua generosidade. Aqui ficam os links: