domingo, 16 de setembro de 2012

Um livro

Edward Hopper - Quarto de Hotel (1931)

Chegou ao fim. A melancolia de um amor que acaba é uma sombra inscrita na alma. Será melhor ser mais prosaica e olhar as letras do livro, enquanto o coração rumina a dor, a súbita humilhação da perda. Amava-o? Não, não. Nunca é disso que se trata. Insuportável ser preterida, ver desfilar a vida, o já não contar no cálculo das horas ou nos projectos de quem partilhou a nossa sombra. Leio? Não, apenas suspiro por esse teu destino fúnebre, pelo prazer que a tua derrota me trará. Contemplo no livro da vida a tormenta que o meu coração espera que sobre ti caia. Um livro é sempre um manual para vinganças tardias.