quinta-feira, 25 de outubro de 2012

O olhar de Apolo

Ernst Ludwig Kirchner - Barche a vella nella tempesta (1912)

Quando tudo balança, quando o mar tempestuoso abre brechas no mundo e ameaça deglutir o sentido que as coisas arrastam consigo, quando o perigo mais sedutor se abre à frente dos homens, é preciso olhar o horizonte com a serenidade de Apolo. Não para convocar os poderes que amainam tempestades, mas para tecer o véu que torna sublime o mais terrível acontecer. Será tudo isto cansaço ou estarei a tornar-me um trágico?