quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Poema 48 - A penumbra que vem de outrora

Thomas Cole - Cruz ao entardecer (1848)

48. A penumbra que vem de outrora

A penumbra que vem de outrora
chega ao entardecer.
Reverberação de musgo e seda,
corpos imprecisos,
algum sonho jamais sonhado.

Há mais passados 
do que aqueles que podemos suportar.
Na sua imperfeição, são uma cruz,
um horizonte de cinza e poeira,
a luz perdida no esquecimento.