domingo, 17 de fevereiro de 2013

Poema 51: As Quatro estações - Verão

Edvard Munch - Dia de verão (1904-1908)

51. As Quatro estações - Verão

As inúmeras páginas onde o Verão se escreve
abrem-se para a janela do esquecimento.
Incêndios na poeira das horas,
um rasto de destruição sobre as areias,
o naufrágio do coração ao meio-dia.

Cega-me tanta luz, cansa-me o Meridião,
a vitória faustosa, o fulgir do sol sobre as águas.
Aguardo a noite para abrir as janelas
e adormeço humilhado pelo calor,
a esperança da nuvem que não chega.

Não fora a vida precária,
não fora a promessa do Outono,
as horas seriam uma campânula de cinza,
a punição cruel de ver a luz,
um cansaço perdido em cada pétala.

Não sei a cor dos frutos estivais,
não sei em que leitos me deitei em cada Verão.
Oiço sussurrar as ondas pela praia,
sento-me à espera que os barcos cheguem
e no cais o silêncio anuncie as primeiras chuvas.

6 comentários:

  1. Não sou "vidrado" no Verão, mas gosto das janelas assomadas, reverberações, que me devolvem os olhares de um tempo que nunca esqueci.
    E depois, sei que o Outono está a chegar.

    Boa semana

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fundamentalmente, o Outono. O Verão suporto-o junto ao mar, mas os dias de Julho e de Setembro (agora, muitas vezes), para não falar em Junho, são aqui muito difíceis. Isto tem um microclima provocado pela Serra d'Aire que é bem difícil de suportar.

      Abraço e boa semana

      Eliminar
  2. Um pouco mais "acima" em Abrantes, o Tejo ameniza o calor ou agrava o frio, conforme a época, mas não resisto ao apelo telúrico que me vem dos Avós e lá vou eu, sempre que calha...
    Já que o mar, esse, é um hábito, vejo-o por aqui todos os dias.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aqui ainda não temos mar, o presidente da Câmara não aproveitou os fundos estruturais a tempo de dotar o concelho com o mar. Bem esta brincadeira tem alguma razão de ser. O edíficio da presidência do NERSANT (a CIP do distrito) é cá em Torres Novas e tem a forma de uma caravela. Sempre que o vejo, acho que estavam à espera que o mar chegasse cá.

      Abraço

      Eliminar
  3. A forma de uma caravela?!...
    Não me diga! O lógico seria ter a forma de um iate...

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Julgo que o projecto veio no balanço da expo e esqueceram-se que aqui não há mar ou rio navegável.

      Abraço

      Eliminar