terça-feira, 12 de março de 2013

Acrobacias linguísticas

Marino Marini - Acrobats (1960)

Depois da teoria da comunicação chegou a vez da psicologia. Certos comentadores da área política da governação (mesmo quando estão zangados com a diminuição das suas reformas) têm teorias absolutamente burlescas para explicar a acção governativa. A primeira era a da comunicação. O governo governava excelentemente, mas coitado não sabia comunicar. Agora Bagão Félix transporta a questão política da teoria do agir comunicacional para a área da psicologia do carácter. 

O governo é corajoso, mas com grande insensibilidade humana e social. O problema não são as políticas, mas o carácter dos governantes. Homens rijos e corajosos, mas insensíveis. Não choram quando aplicam as medidas. Se chorassem, tudo correria muito melhor, e os que são apanhados pelas medidas do governo até ficariam gratos e organizariam manifestações de desagravo aos governantes, pela ofensa que é para eles, governantes, terem de fazer aquilo que lhes dá enorme prazer fazer.

Este tipo de acrobacias é uma forma de tentar atirar poeira para os olhos das pessoas. O problema é político e não comunicacional ou psicológico. São as opções para resolver os problemas que são más e a direcção política que é incompetente e incapaz de gerar consensos e de mobilizar os portugueses para a saída do sarilho em que se meteram ao votar em gente como o dr. Bagão Félix e outros parecidos.