quinta-feira, 2 de maio de 2013

Poema 62 - A montanha irrompe pelos céus

Caspar David Friedrich - Mountain Landscape (1804-5)

62. A montanha irrompe pelos céus

A montanha irrompe pelos céus,
rasga a cortina 
e deixa os deuses vir
sobre a terra branca e cansada.

Névoas de seda e caminhos de musgo,
o súbito pulsar da noite,
árvores presas nas raízes,
um grito que dilacera a manhã.

Subo contigo a montanha
e espero o voo do pássaro,
a vertigem que faz tremer a vida
e abre os olhos para a verdade.

Trémulo, anseio o cume,
e entre fetos e silvas
arrasto o corpo lacerado,
a fogueira que arde no coração.