domingo, 23 de junho de 2013

Poema 71 - São tempos difíceis, disseste

Alfons Mucha - O abismo (1897-99)

71. São tempos difíceis, disseste

São tempos difíceis, disseste.
A cólera poisou mansa no fundo do coração,
as mãos apertam-se desesperadas e secas,
a cabeça inclinada para a terra,
o sabor a fel a cantar no centro da boca.

Sonhas ainda com dias resplandecentes,
mas o silêncio cobriu o sonho,
e ninguém se recorda do que desejou,
das coisas que um dia foram amadas
ou das promessas com que a vida se enganou.

São tempos difíceis, digo-te eu.
O meu coração já não tem força para odiar,
o corpo mal se equilibra sobre a terra
e tudo aquilo que um dia pensei
foi levado pelo desejo que logo se apagou.