terça-feira, 30 de julho de 2013

O retorno das Sibilas

Hermen Anglada-Camarasa - Sibila (1913)

Um dos efeitos dos nossos dias - um efeito que nunca deixa de me surpreender - reside no paradoxo que parece habitar no exercício da liberdade. Uma sociedade que se desregula, que cada vez abre mais e mais sectores de acção à liberdade dos homens, gera, ao mesmo tempo, no homem comum, um sentimento de desapropriação da sua liberdade e de aniquilação da sua capacidade de iniciativa, como se o aumento da liberdade possível fizesse crescer, em contrapartida e de forma exponencial, a experiência de uma irremissível fatalidade. Os tempos estão propícios para o retorno das Sibilas.