quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Risco, qual risco?

Pablo Picasso - Pareja de pobres (1903)

Eis um título enganador: Portugal tem beneficiado "elites económicas" e arrisca-se a ser um dos países mais desiguais. O engano está no termo "arrisca-se". Quando se fala de risco estamos a referir que alguém, tendo intenção de fazer uma coisa, corre o risco de fazer acontecer outra. O que se passa em Portugal não é isso. Os portugueses escolheram um governo cuja política tinha e tem como objectivo central empobrecer a população e aumentar drasticamente as desigualdades. Este empobrecimento não é um dano colateral. A austeridade não pretende diminuir o défice público, conforme pensam algumas almas ingénuas que dão ouvidos ao governo, mas tornar-nos irremediavelmente mais pobres e mais desiguais. O governo está a ter um tremendo sucesso.