segunda-feira, 28 de outubro de 2013

De abismo em abismo

Alfons Mucha - O abismo (1897-99)

A situação abissal a que se chegou terá, por certo, múltiplas e pertinentes explicações. A inveja galopante, o peso da mediocridade e, fundamentalmente, a mais completa ausência de rigor e exigência no que se faz, tudo isso, contudo, escavou o buraco negro onde estamos.  A complacência tem um preço e o preço não é apenas a vitória dos medíocres, é também a dolorosa via crucis que é o caminho que nos cabe no momento actual. O que mais temo, porém, é que nada aprendamos com tudo pelo que estamos a passar, que o nosso destino, enquanto povo, seja o de mergulhar de abismo em abismo.