terça-feira, 8 de outubro de 2013

Do desejo realizado

Salvador Dali - Niño geopolítico observando nacimiento del hombre nuevo (1943)

Em tempo de inovação, tudo o que não é novo é pernicioso. (Saint-Just)

Talvez exista uma estranha justiça que, sob o manto daquilo que vai acontecendo na vida dos homens, acaba por arrumar as coisas no seu lugar e realizar os desejos mais íntimos de cada um. A frase do revolucionário francês - um dos homens mais entusiastas do período do Terror na Revolução Francesa - sintetiza o essencial do mundo moderno. A palavra usada por Louis Antoine de Saint-Just é de uma justeza admirável. Nesses tempos, que são ainda os nossas, o não novo era pernicioso - isto é, prejudicial e perigoso - e devia, como agora, ser removido. A partir de Saint-Just percebe-se muito do que está por aí a acontecer. A vida foi justa com as ideias e os desejos de Louis Antoine. Ainda não tinha completado 27 anos quando ela ouviu os seus desejos e o enviou para a guilhotina. Nunca se tornou num homem pernicioso.