segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

A destruição do pacto social

Luis Brihuega - O medo (1968)

Que significado político pode ser conferido aos cerca de sessenta tiros disparados esta madrugada sobre a residência do embaixador alemão em Atenas? Uma leitura imediata diz-nos que é uma espécie de retaliação que visa começar a disseminar o terror entre os responsáveis pelas actuais políticas europeias. Esta resposta, porém, encobre o problema essencial. As políticas europeias estão a conduzir à destruição do pacto social que, apesar de não eliminar as diferenças sociais, permitia um amplo consenso entre os membros de uma comunidade política. Era este acordo que retirava espaço de manobra ao exercício do terror político e parecia tê-lo transformado numa relíquia dos museus europeus da violência política. Os acontecimentos desta madrugada em Atenas são mais um sinal, um perigoso sinal, de que a Europa esqueceu que a pacificação das sociedades repousa no equilíbrio e na distribuição adequada dos bens provenientes da cooperação social. Mostram também que o terror é sempre a outra face do desespero do presente e do medo do futuro.