sábado, 4 de janeiro de 2014

Abandonado na encruzilhada

Mateo Vilagrasa - Encruzilhada (1987)

Não há mensagens para ler. Acato a decisão do destino e sustenho o desejo de novidades, esse impulso que sussurra dentro de mim e me lança na fraterna convivência humana. Um dia, o poeta Georg Trakl escreveu Alguém te abandonou na encruzilhada, e tu olhas longamente para trás. Sim, ele falava para mim, falava para um futuro que não conhecia, e eu retribuo-lhe o favor, olhando para trás. Quando abro a caixa do correio ou entro no email é a minha retribuição a Trakl. Olho longamente para trás, mas nunca descubro quem me abandonou. Volto, mais uma vez. Não há mensagens para ler.