quarta-feira, 23 de julho de 2014

O tormento da desigualdade

Jorge Carreira Maia - Luz (2014)

Para que serve a filosofia? Em última análise para trazer um pouco de luz sobre aquilo que nos atormenta. Mais do que aquilo que nos dá prazer, aquilo que nos atormenta dá que pensar. Os gregos colocavam na origem do filosofar o espanto. Numa época como a nossa, provavelmente menos luminosa, talvez aquilo que nos dá que pensar seja o espanto do tormento. Do ponto de vista social, o que é que nos atormenta e nos deve dar que pensar? A desigualdade. A desigualdade é o grande tormento social dos nossos dias. Por isso, vale a pena ler (aqui) as quatro principais razões, segundo o filósofo de Harvard, T. M. Scanlon, por que a desigualdade é má para a sociedade. Vale mesmo a pena ir ler os argumentos de Scanlon, mas o curioso é que nenhum destes argumentos contra a desigualdade põe em causa uma sociedade liberal ou justifica uma utopia igualitária. A luz do pensamento serve para isto mesmo, para encontrar caminhos onde apenas parece haver escarpas e densas trevas.