domingo, 30 de novembro de 2014

Para que serve?

Jorge Carreira Maia - Black & White Dreams (2014)

Ao cair da tarde, olhei pela janela e vi na escola aqui ao lado uma tira de luz brilhante, uma luz solar que dizia tudo é possível, ainda. O ainda grita dentro de mim e eu olho para o lado à procura da máquina fotográfica. Pego nela e viro-me. Tudo estava diferente. O ainda desaparecera na voragem do instante. A luz, agora baça e triste, uma luz de domingo à tarde, mesclada de sombras, transida de frio, negava a esperança de há pouco e sussurrava a inutilidade e a impossibilidade de tudo. Ensimesmado, o Sol declinou, escondeu-se para lá da serra e deixou que o tropel da noite poisasse diante de mim. Para que serve escrever tudo isto? Para que serve escrever seja o que for? Para quer serve?