sábado, 9 de maio de 2015

Impressões XXXVII - regressamos sempre ao passado

Stanislas Lépine - Le Port de Caen (1859)


xxxvii. regressamos sempre ao passado

regressamos sempre ao passado
a rosa que nos atormentara
com a ferocidade dos espinhos
as buganvílias que cresceram
no porto da infância
os barcos de pavilhão arvorado
à espera do rei que não volta

todos os esforços afluem no vazio
o trabalho da flor sobre a água
os remos estendidos no barco
as velas o vento não as sopra

os portos onde depositámos a infância
são agora desertos de areia e betão
iluminados por um sol frio
que tumultua as ruas onde não passas

(10/11/2009 - recuperação do ciclo Impressões do meu antigo blogue averomundo