terça-feira, 4 de agosto de 2015

Uma imagem invertida da realidade

Troca de tweets entre Philippe Legrain e Bruno Maçães

O economista inglês Philippe Legrain deu a conhecer um diálogo (ver acima), através do Twitter, com o governante português Bruno Maçães. Este é um dos ideólogos da actual governação, passa, em certos círculos situacionistas, como uma excelência, embora não se saiba muito ao certo em quê. Este diálogo merece ser lido, pois mostra como a actual maioria e os adeptos das políticas de austeridade produzem um fantasia para vender ao desbarato. Não se trata apenas, na estratégia de Maçães, de não apresentar um único facto que justifique a sua argumentação, como sublinha Philippe Legrain. Trata-se de outra coisa. Maçães, completamente mergulhado em ideologia, de tal forma que julga ser desnecessário apresentar factos, ao ser confrontado com a pura factualidade da situação portuguesa, acusa o outro lado de ideologia, numa estratégia muito portuguesa de esperteza saloia: deixa cá acusar o outro de enviesamento ideológico antes que ele me acuse a mim. Este caso é apenas um exemplo daquilo que se tem passado na Europa desde que foi desencadeada a crise das dívidas soberanas. Uma máquina poderosa produz constantemente um véu de fantasias com o qual tapa a realidade e a falência das políticas adoptadas. A estratégia ideológica das governações europeias é de tal maneira fantasiosa que parece ter sido elaborada para justificar a perspectiva marxiana de ideologia: uma imagem invertida da realidade. É isto que sai da boca dos governantes portugueses, uma imagem invertida da realidade.