sexta-feira, 4 de setembro de 2015

O Livro do Entardecer (7) soneto

Caspar David Friedrich - Spring (1926)

7. soneto

de que vale a vida
se o perigo não espreita na clareira
se a floresta for apenas um mar
de palavras secas e exaustas

poucas as coisas que amei
uma casa a vertigem ante o abismo
o galope das horas na torre da igreja
uma promessa de neve por cumprir

amei-as no terror que traziam
no segredo que nelas crescia
mal o jardineiro as podava para mim

cortava imagens limpava visões
gritava contra a glória da manhã
e elas floresciam na primavera

(averomundo, 2009/12/24)