terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Condor Popular & Ciclone


Estas capas pertencem a duas revistas de aventuras (livros aos quadradinhos) muito populares quando eu era aluno da escola primária. Estas revistas são clones uma da outra. Não sei se ambas eram editadas pelas Agência Portuguesa de Revistas, ou se alguma teria outro editor. O que as marca é uma concepção, absolutamente idêntica, onde o preto e o branco das figuras se combina com uma outra cor (rosa, verde, azul, cinzento, laranja, etc.), que vai variando de número para número. Tanto quanto recordo, as histórias eram bastante simples e o número de páginas relativamente diminuto, trinta e duas. Uma leitura popular, a preços absolutamente populares. Estes número custavam 1$20, no Continente, e 1$50, no Ultramar. E custaram assim durante muitos anos. Tempo em que a inflação era coisa desconhecida. Lembro-me de "cravar" uma ao meu pai cada vez que ia com ele ao café. Jornal, para ele. Ciclone ou Condor, para mim. Como se prova, os alicerces da minha cultura são mesmo bastante baixos... (averomundo, 2007/08/12)