segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

O Silêncio da Terra Sombria - 11. Fulgor

José Antonio Sistiaga - Fulgor (1963)

11. Fulgor

Fulgura uma colmeia azul
na carne ferida pelas mãos,
na boca cansada de pólen.

Fulgura um fogo de água
no voo cego de um anjo,
na quietação do anoitecer.

[O Silêncio da Terra Sombria, 1993]