domingo, 27 de novembro de 2016

Alma Pátria - 6: João Ferreira-Rosa - Fado dos Saltimbancos




Este é um post quase falhado. Não sei qual a data do Fado dos Saltimbancos, nem encontrei a capa do disco onde, pela primeira vez, João Ferreira-Rosa o grava. Fica, porém, uma imagem de um Portugal praticamente morto. Um Portugal monárquico, tradicionalista e amante de toiros a que a excelente voz de João Ferreira-Rosa dava uma aura que já fenecera. A Revolução do 25 de Abril e a entrada para a CEE liquidaram-no, mas as pessoas da minha geração ainda o conheceram muito bem. Ah, não se pense que sou inimigo de touradas. Não sou, embora não seja um aficionado e esteja convicto que têm os dias contados. Não é impunemente que se nasce no Ribatejo, perto da Golegã e da Chamusca, de toda a linha do Tejo onde a tradição taurina era bem forte. Seja como for, esta é uma parte da alma pátria em transformação acelerada. Continua, porém, a haver saltimbancos, aqueles rapazes, moços forcados, que, gratuitamente, teimam em pegar um touro de caras. E pegar um touro de caras, seja que tipo de touro for, real ou metafórico, não é para toda a gente.