terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Parado no tempo

Fátima (Agosto de 1939)

Esta fotografia de Fátima retrata o país nos dias que antecederam a início da segunda guerra mundial. O centro da Europa caminhava a passos largos para a grande tragédia, Portugal parecia, porém, resguardado no tempo. A maneira como as mulheres se vestiam denotava uma sociedade vergada ao peso da terra, dependente do trabalho dos campos. Repare-se na forma como os corpos se encontram completamente cobertos em pleno Agosto. Em 1939 nem todo o país era tão bucólico e tão paroquial, mas grande parte tinha essas características. Aquilo que vemos nesta fotografia não é uma excepção, mas uma síntese de uma sociedade fechada, muito pouco cosmopolita, onde o peso do arcaico era já, naquele tempo, excessivo. O pior é que tendo nascido bem depois de 1939 ainda conheci uma parte, não negligenciável, de Portugal assim. Negro, coberto de roupa, temeroso do corpo e arcaico, um Portugal que parecia parado no tempo do Absolutismo.