sábado, 29 de abril de 2017

Confidências

Arturo Souto Feijoo - Confidências (1962)

Não fazer e, acima de tudo, não escutar confidências. O verdadeiramente secreto é incomunicável, o que se pode comunicar não merece a escuta ou a partilha. O silêncio é infinitamente mais honroso e útil do que a venalidade de uma confidência.