terça-feira, 9 de maio de 2017

O quarto-estado

Giuseppe Pellizza da Volpedo - Quarto Stato (1901)

John Charles Dollman - Famine (1904)

Em 1901, Giuseppe Pellizza da Volpedo pintava o quarto-estado como uma força heróica que tinha nas mãos, em marcha lenta mas inexorável, a realização do destino da humanidade. Traria à Terra, nesse seu passo incansável, o Reino de Deus, sem Deus, certamente, mas mesmo assim um paraíso onde haveria de correr leite e mel. O inglês John Charles Dollman, em 1904, tinha uma visão radicalmente diferente do quarto estado. Uma matilha esfaimada pronta a seguir a primeira pitonisa com pretensões a rainha absoluta. As eleições francesas mostraram que o mundo se deixa descrever com mais propriedade pelo quadro de Dollman do que pelo de Volpedo. Quando a dor é grande, o dom profético sempre foi mais convincente do que o artifício teórico.