quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Alma Pátria - 36: Hugo Maia Loureiro - Canção de Madrugar



A Alma Pátria continua a explorar o filão do Festival RTP da canção. Hugo Maia Loureiro era, no início dos anos setenta, um dos nomes fortes do Festival. Julgo que nunca ganhou. Em 1970, com Canção de Madrugar, fica em segundo lugar, atrás de Sérgio Borges, Onde vais rio que eu canto. Canção de Madrugar, com música de Nuno Nazareth Fernandes, letra do inevitável José Carlos Ary dos Santos. E é a Ary dos Santos  que se deve a primeira atenção. Ele é extraordinariamente eficaz na construção da letra. Consegue dar densidade a uma canção de amor que, nas mãos de outros, não passaria de uma mera cançoneta. E essa densidade deve-se ao uso exímio da língua portuguesa para obter um efeito onde se revela toda a tensão trágica que habita essa idealização que toma o nome de amor. A música de Nazareth Fernandes e a voz de Maia Loureiro dão pleno corpo à inventividade do letrista. Augúrio de um tempo que despontava no horizonte.