segunda-feira, 16 de dezembro de 2019

Alma Pátria 58: Fernanda Peres, Fado das Lágrimas



Uma viagem até 1958, ao Fado das Lágrimas escrito por Alberto Janes e cantado por Fernanda Peres (1931-2016). Gravado num 45 rpm, forma conjunto com Fado Corrido, Já Não Te Quero e Nem às Paredes Confesso. O pano de fundo ideológico do tema é recorrente do fado daquela época. Desgosto, almas a sangrar, prantos e segredos, choros e temporais e, como não podia deixar de ser, a sina. Este fatalismo da afectividade torna-se, se se abandona os lugares comuns, difícil de interpretar. Seria ele uma emanação ideológica da situação política que se vivia ou seria antes, uma espécie de protesto inconsciente que se expressa na ideia de que na ausência da liberdade tudo está submetido à dura necessidade, ao puro fatalismo? Apesar de Fernanda Peres ser hoje em dia desconhecida fora dos círculos do fado, a alma da pátria chorava muito bem bem na sua voz de fadista.

Sem comentários:

Enviar um comentário