sexta-feira, 11 de dezembro de 2020

Beatitudes (34) A liberdade

Hiroshi Hamaya, Kayenta, Arizona, USA, 1967

As terras áridas das quais apenas um ou outro cacto faz moradia, planícies de que a vista não alcança o termo, uma estrada que liga um a outro nada. Na solidão da paisagem, o viajante descobre a liberdade de ir e vir sem que a mão de alguém se interponha entre o sonho e a deambulação, entre o desejo e o seu objecto, entre o tempo que passa e o caminho percorrido.

4 comentários: