quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Resultados de uma política

José Ortega - Emigrantes (1970)

Lembram-se da fase eufórica do actual governo? Lembram-se quando, sem qualquer pudor, a gente a quem os portugueses confiaram o poder receitava, como remédio para o desemprego, a emigração? Os portugueses, cordatos e humilhados, aceitaram a terapia e fizeram-se à vida. Mas olhemos um dos resultados do incremento à emigração: o primeiro-ministro belga dá exemplo de portugueses pagos a 2,06 hora como um caso de dumping social que o próprio governo belga quer combater. Não se trata apenas de um caso de exploração oportunista, e que incomoda o próprio governo belga, de mão-de-obra barata para tentar fazer descer os salários na Bélgica. Estes portugueses que aceitaram este grau de exploração fogem pura e simplesmente da exclusão. Exclusão essa fomentada pelas políticas que o governo português, sem pudor, aceitou, com empenho e contentamento, impor a uma parte da população. Em última análise, toda a política governamental não visa outra coisa senão isto, engrossar o exército de desesperados que aceitam trabalhar por qualquer migalha.