quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Poema 50: As Quatro Estações - Primavera

Vincent Van Gogh - Park at Asnières in Spring (1887)

50. As Quatro Estações - Primavera

A exuberância da vida trazida pela cor,
a transitoriedade apagada pela esperança,
promessas de frutos e água pura,
uma boca que te espera ao entardecer.

Ouve-se o zumbido dos insectos,
a música encobre a distância,
e tudo refulge batido pelo musgo solar.

Na beleza assombrada do dia,
cresce um ruído,
o latir dos cães no fundo do jardim,
o artifício de um deus no firmamento.

Não é tempo de interrogações.
Deixa o corpo despir-se para a luz,
entregar-se ao poder da claridade,
adormecer no cansado mistério 
de um mundo que se abre e recomeça.