quarta-feira, 10 de julho de 2013

Poema 73 - Creio nas manhãs azuis sobre a cidade

George Grosz - Manhã Azul (1912)

73. Creio nas manhãs azuis sobre a cidade

Creio nas manhãs azuis sobre a cidade,
na desolação de quem passa
e traz nos olhos uma cortina de fogo,
nas mãos, o sangue frio da noite.

Toda a minha fé está nesse jardim:
Árvores cariadas, folhas mortas,
o braço decepado de uma roseira,
o suor que te mancha o vestido.

Exacto e azul, o meu sentimento
cresce no vazio, transborda e canta.
E tudo se move empurrado pelo vento:
O dia, as lágrimas, a sombra sobre a terra.