domingo, 6 de dezembro de 2015

O rosnar da noite

Dionisio Fierros - Atardecer en rojo

Oiço o rosnar da noite ao cair sobre as ruas indefesas. Passam homens apressados, como se a escuridão fosse uma armadilha tecida por inimigos invisíveis. Nas entranhas da terra uiva uma matilha de lobos inquietos e esfaimados. Quando a treva chegar, sairão à procura do festim. Quando regressarem ao covil, de boca ensanguentada, a noite expirará e a aurora sorrirá no horizonte, promessa enganadora que anuncia a cordialidade da manhã. Exaustos, os lobos bocejarão antes de adormecer. A luz toma então conta do mundo e os homens retornam ao desassossego do dia, como se este fosse uma promessa de infinito. (averomundo, 2008/05/15)