sábado, 11 de abril de 2015

Impressões XXX - o fundo onde tudo se recolhe

Claude Monet - Bordighera, Italy (1884)

xxx. o fundo onde tudo se recolhe

o fundo onde tudo se recolhe
abre-se para a inércia do olhar
como se um pássaro cantasse
na hora em que a terra escurece

não é a tristeza sobre a face
nem o abandono que há-de vir
não é a dor que dói no horizonte
nem a ruína que se pressente

apenas uma cotovia se esconde
presa na sombra da buganvília
apenas a minha mão se ergue
para a escuridão que se levanta

(03/11/2009 - recuperação do ciclo Impressões do meu antigo blogue averomundo)