segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Alma Pátria - 31: Fernando Tordo - Tourada



Tourada, a canção vencedora do Festival RTP de 1973. Há nela uma inteligência assinalável ao pegar num dos símbolos dos estratos sociais mais conservadores, apoiantes do regime, a tourada, e usá-lo como crítica social e política. Como explicar que esta letra, de José Carlos Ary dos Santos (pouco interessante enquanto poeta, mas um grande letrista), passe pela censura, se apresente a concurso na televisão da ditadura, e ganhe? Só há uma explicação. Uma parte substancial do país já tinha percebido que o regime se tinha transformado numa enorme, embora sofrível, tourada. Esta é uma autêntica canção de intervenção, uma canção que anunciava os tempos que estavam para vir. Se não tivesse mais nenhum interesse, mas ela possui outros, interessaria enquanto facto profético anunciador do amanhã, quase dos amanhãs que cantam. Quem diria uma tonalidade cantante tão vermelha num regime a vacilar entre o cinzento e o negro?