domingo, 27 de agosto de 2017

Alma Pátria - 33: Maria Teresa de Noronha - Mataram a Mouraria



Um retorno ao fado aristocrático com Maria Teresa de Noronha. Nome grande do fado nos anos quarenta, cinquenta e sessenta, uma autêntica cantora da Rádio. Só abandona a Emissora Nacional em 1968. A Mouraria, um dos bairros mais populares de Lisboa, é um símbolo do fado. De certam maneira este título, Mataram a Mouraria, anunciava a morte do fado, o que, como sabemos hoje, estava longe de ser verdade. Repare-se na conexão entre fado, Mouraria, tradição, passado. Todas estas palavras são topos essenciais do fado e de uma certa alma nacional. A que se acrescenta a inevitável saudade. “Enquanto houver portugueses / Ninguém diga em Portugal/ Que vai morrer o passado”, canta Maria Teresa de Noronha. Talvez isto explique muito do que somos e do que fazemos ou não fazemos.