terça-feira, 4 de março de 2014

Metamorfoses 21 - O tormento das horas que passam

Jean Cocteau - Auto-retrato sem rosto (1910-13)

21. O tormento das horas que passam

O tormento das horas que passam
e nesse passar me esquecem,
deixando um rasto de anjos pelo chão.

Na ravina, erguem-se pássaros em flor,
volteiam no azul dos céus,
abrem asas sob o sopro das nuvens.

E eu que não sou anjo nem pássaro
olho-me na fúria do espelho
e espero o tempo na mudez da face.