terça-feira, 16 de abril de 2013

O difícil caso da Venezuela

Diego Rivera - La constante renovación de la lucha revolucionaria (1926-27)

A situação na Venezuela está a tornar-se perigosa. O chavismo sem Chávez tem pela frente dias muito difíceis, com um país completamente polarizado e retóricas incendiárias de parte a parte. Há no chavismo qualquer coisa de profundamente anacrónico. Toda a retórica revolucionária parece deslocada, quando o necessário seria políticas de consolidação da iniciativa das pessoas, de fortalecimento dos mais frágeis. O Brasil, por exemplo, soube muito bem evitar o escolho da inflamação revolucionária, construindo de facto um conjunto de políticas que trouxeram para as classes médias largas camadas da população mais pobre. A vitória tangencial de Maduro parece o prenúncio do fim dos sonhos revolucionários do chavismo. Por outro lado, o Presidente agora eleito não parece ter qualquer preparação nem para o cargo nem para enfrentar a complexa situação em que o país se encontra. Na verdade, Lula da Silva, o lectricista que chegou a Presidente, é excepção e não a regra. Veremos se a Venezuela, apesar de todo o charivari bolivarino, não vai ser o lugar onde uma nova onda de liberalismo puro e duro vai emergir para tornar a sufocar a América Latina.