segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Metamorfoses 14 - Ah! os sinais que reluzem na memória

Frédéric Bazille - Furstenberg (1865)

14. Ah! os sinais que reluzem na memória

Ah! os sinais que reluzem na memória
e traçam um caminho na escuridão
são sombras nascidas pelo meio-dia.

Houve tempos em que enchia de tristeza
cadernos de capas negras e folhas pardas.
Hoje amo o silêncio vivo da solidão.

Na casa, ouvem-se rumores. Espreito.
E deixo que cada coisa permaneça
no lugar onde sempre a encontrei.