domingo, 23 de fevereiro de 2014

Metamorfoses 19 - Não sei se o rosto diz aos outros o coração

Eugène Emmanuel Amaury-Duval - O nascimento de Vénus

19. Não sei se o rosto diz aos outros o coração

Não sei se o rosto diz aos outros o coração,
o fogo que arde no ventre da alma,
as promessas a que pela tarde disse não.

Não sei se estou demasiado longe ou perto,
se a morte campeia noutra pátria,
no lugar baldio dum poema inquieto.

Não sei, eis toda a certeza que me resta,
o olhar inclinado sobre o mundo,
o desejo do corpo que se manifesta.