segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

O Silêncio da Terra Sombria - 4. O mundo devastado

Frantisek Kupka - Aguatinta (1913)

4. O mundo devastado

Olhava para o mundo devastado
e cantava com voz límpida
a periferia de cardos entre dedos,
o louvor dos dias finais e brancos.
Claros, negros, tanta a sufocação.

[O Silêncio da Terra Sombria, 1993]