quarta-feira, 27 de janeiro de 2021

Alma Pátria 68: Artur Ribeiro, Sete Saias


A cançoneta Sete Saias, gravada em 1960, é um dos maiores êxitos de Artur Ribeiro. O poema é aparentemente despretensioso e inócuo. No entanto, ele não deixa de ser um belo retrato da alma pátria da altura, em que o professor Salazar pastoreava a nação. Uma temática ruralista e moralizante ainda incendiava o gosto musical dos portugueses. A canção pode ser entendida quase como de intervenção, não no sentido a que posteriormente se deu a esse epíteto, mas como qualificação da sua pretensão pedagógica. O que está em jogo é saber lidar com Eros, esse deus travesso, libidinoso e inquietante. Nada de saias com grandes rodas, nada de saias curta, o mais que podem subir, em 1960, é um palmo acima do pé, não vá o Zé ficar com ideias. Puro influxo catequético do Estado Novo, numa paisagem que dava os primeiros e tímidos passos na sua dissolução.

Sem comentários:

Publicar um comentário